segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Vidas Provisórias

Vidas Provisórias - Edney Silvestre



Sinopse



"Caminhou, com a neve pelos joelhos, cada vez para mais longe do alojamento, até as luzes ficarem muito pequenas e sumirem. Não sentia frio. Obedecia à voz sem corpo. quando ela ordenou que parasse, ele parou. Você está muito cansado, a voz lhe disse. Sim, estou, ele respondeu. Você está fugindo há muito tempo. Não precisa mais fugir, a voz lhe assegurou. Você chegou ao seu destino. Chegou o momento de descansar. Deite-se, a neve está macia. É um leito acolhedor. Veja como ela se derrete à sua volta e se molda ao seu corpo."

EDNEY SILVESTRE Se tornou uma 
revelação da literatura Brasileira
- O GLOBO

SILVESTRE SE ESTABELECE COMO UM DOS MAIS VIGOROSOS
NARRADORES CONTEMPORÂNEOS DO BRASIL
-VEJA

EXTRAORDINÁRIO
- FINANCIAL TIMES


NOTAS SOBRE O LIVRO


Depois de ler as descrições feitas pela VEJA e demais, me sinto meio coagida a falar qualquer aspecto negativo da obra, mas como é de costume, me torno imparcial quando resenho qualquer obra, quer eu ame ou desconheça o autor. Então, vamos lá!

O cara que escreveu esta obra é um talentoso jornalista que se tornou um grande nome da Literatura Brasileira, e ganhador de  prêmios nessa área. Confesso que depois de conhecer mais sobre o autor, senti vontade de ler outras obras do mesmo.

Em ' vidas provisórias' o autor denuncia as condições em que brasileiros saiam  clandestinamente do país durante a ditadura e depois desta. Relata as condições deploráveis que muitos se submetiam em outros países. Muitos tiveram seus registros apagados no brasil pela ditadura, alguns tentaram estudar e seguir suas vidas em outros lugares, muitos continuaram sofrendo torturas, outros se conformavam em ter um lar (por menor que fosse) e dinheiro para se manter, fazendo faxina como era o caso de Barbara. Outros ganhavam a vida como profissionais do sexo, o que lhes possibilitava uma vida mais extravagante. O título da obra é dada pelo fato de os personagens estarem em outros lugares, usando nomes falsos, e de certa forma vivendo outras vidas por tempo indeterminado.

Duas coisas que me chamaram atenção foram: a forma de narrativa usada. Silvestre coloca duas histórias distintas, em tempos diferentes de modo alternadas por capítulos; E a escrita do texto, o narrador conhece tudo na história, inclusive o pensamento dos personagens, desse modo, Silvestre coloca as ações, as falas e os pensamentos e sentimentos meio que da mesma forma, forçando o leitor a perceber do que se trata cada frase, Além do que, essa forma de escrita dá uma dinâmica à leitura, tornando-a mais gostosa.

Eu adorei a forma como Silvestre escreve, no entanto, as histórias contadas,deixaram a desejar no que diz respeito a conteúdo ( interação entre personagens). Silvestre sabe como usar as palavras, mas isso só faz sentido quando se tem em que usar, e eu particularmente acho que ele poderia  ter explorado mais desse dom . Talvez ele se limitou!

Nota de 0-5: nota 3. Aceito críticas, entendo que a Veja é a VEJA. Rsrs... Mas não vou mudar a política do nosso Blog. 

0 comentários:

Postar um comentário