sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

As Vantagens de Ser Invisível

As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky

As Vantagens de Ser Invisível

 



SINOPSE


Mais intimas do que um diário, as cartas de Charlie são estranhas e únicas, hilárias e devastadoras.  Não se sabe onde ele mora, para quem ele escreve. Tudo que se conhece é o mundo que ele compartilha com o leitor. Está encurralado entre o desejo de viver sua vida e fugir dela o coloca num novo caminho através do território inexplorado. Um mundo de primeiros encontros amorosos, dramas familiares e novos amigos. Um mundo de sexo, drogas e rock'n'roll, quando o que todo mundo quer é aquela música certa que provoca o impulso perfeito para se sentir infinito.


RESENHA


Quem era Charlie? Um adolescente de 15 anos que perdeu seu melhor amigo e sua tia favorita ainda na infância. Sua família era composta pelos pais (pessoas normais), o irmão mais velho, o mais responsável, sua irmã do meio, meio doidinha e apaixonada por "vale nada". Ele tinha lá suas lutas psicológicas pessoais e isso o atrapalhava no que diz respeito a amizades, Mas o cara era meio superdotado (segundo o seu professor de inglês avançado).

Aos exatos 15 anos Charlie descobre o mundo das festas, conhece amigos e se apaixona, começa a conhecer e usar algumas drogas como maconha e viver despojadamente, ou seja, passa a ser INFINITO! Tudo que sabemos sobre ele sabemos porque ele conta nas cartas ao amigo (que ninguém sabe quem é). 
Coisas que eu curti no livro:

1 - Charlie escreve como fala, é algo interativo e bem dosado, um pouco divertido, um pouco dramático, bem leve e reflexivo;

2 - Charlie é um bom amigo, sabe respeitar o espaço dos outros. Percebe-se isso claramente quando Patrick passa por momentos difíceis e ele o entende:

"Depois ele começou a chorar. E depois começou a falar de Brad. E eu deixei que falasse. porque os amigos são para essas coisas." Página 171
Patrick era gay, tinha um caso com o Brad, mas ninguém podia saber, porque o Brad tentava esconder, eles brigaram feio, por isso ele estava sofrendo;

3 - Meu Deus! Que homem é esse? Tão respeitoso! Ele ama a Sam que ama outro garoto (que por sinal só vive pisando na bola com ela). no dia que ele tem a oportunidade de tirar uma casquinha, ele não faz por que quer preservar a imagem dela. ooowm <3 


"Fiquei muito nervoso, especialmente porque, no show,  Rocky tem que tocar todo o corpo de Janet, e quem fazia Janet era a Sam[...] e no que me diz respeito, acho que se um dia tocar nela de alguma forma nunca vou querer que seja vulgar. Não ia querer que fosse Rocky e Janet, ia querer que fosse Sam e  eu..." Páginas 120-121

Coisa que deixou a desejar:

Acho que o  ele deveria escrever  sobre o problema que ele enfrentava, mas entendo que faz parte da trama.

Além dos personagens que eu já citei, Mary Elizabeth merece ser citada, porque... oh menina chata, é do tipo de gente espaçosa, que só fala, fala e fala, totalmente diferente de Charlie. No desenrolar das cartas você conhece melhor os personagens e o que sucede a cada um, como é de meu costume, não entrarei em detalhes. rsrs (Minha função é só despertar a curiosidade do leitor)

Extras:
Uma música: Asleep - The smiths
Uma série: M*A*S*H
Um livro: O apanhador no campo de Centeio 

Uma frase:" EU ME SINTO INFINITO!"

0 comentários:

Postar um comentário