quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Devoradores de Mortos

Devoradores de mortos - Michael Crichton


Sinopse

UMA NARRATIVA ELETRIZANTE SOBRE O POVO VIKING

Em Devoradores de Mortos, Michael Crichton presenteia os leitores com um delicioso relato sobre a vida do vikings. Ele parte de fragmentos valiosos do mais antigo documento sobre o assunto: o raro manuscrito de 922 do árabe Ahmad Ibn Fadlan, emissário do califa de Bagdá que visitou o povo nórdico.

A vida desse povo é narrada de forna inédita, jamais vista pelos ocidentais. Amantes dos mares, dos oceanos e das perigosas navegações, os vikings são apresentados não mais como bárbaros, mas como desbravadores destemidos. Conquistadores de muitos povos, seus bandos se espalharam por uma imensa área e vários nomes de tribos suas foram deixados como herança em diversos pontos do planeta, como Russia, derivada de tribo de Rus.

Crichton comenta, retifica, questiona e analisa todas as impressões de Fadlan. Como todas as suas obras, esse livro é praticamente um filme. Por meio de imagens vibrantes, o autor propõe ao leitor uma verdadeira viagem no tempo, da qual o ponto alto é o inquietante episódio em que os vikgns teriam sido atacados por seres peludos animalescos, extremamente agressivos - os misteriosos devoradores de mortos.


Sobre o autor


Nascido em Chicago em 1942, foi um escritor fenomenal. Faleceu em Los Angeles em 2008 aos 66 anos ( sua última obra foi "Micro" ).Crichton é considerado um dos melhores escritores de Ficção Científica ( eu concordo! hahaha), além de ser diretor e produtor de filmes e programas de televisão.

Minha Opinião


Durante a leitura percebi o quanto Crichton era um ótimo escritor, só pelo falo de Devoradores de Mortos ser baseado num escrito sobre aventuras que se passaram em 922 já  faz toda diferença...você entenderá! ;)

A narrativa conta como Ahmad Ibn Fadlan fora enviado a uma visita ao rei dos Bulgarios, como encontrou  aos Nórdicos  (vikings)e como sobreviveu a essa aventura...confesso que alguns trechos são literalmente aterrorizantes.

A palavra VIKINGS sempre me denotou algo grotesco, mas confesso que esperava coisas mais leves na leitura, o que não foi possível encontrar. Rsrs.

Viver na terra dos Nórdicos não foi nada fácil, não foi possível falar de Alá sem ser recriminado pelo povo que acreditava na existência de vários deuses. Fadlan enquanto tentava cumprir sua missão passou por maus bocados ali, escapando várias vezes da morte e isso acaba deixando o leitor apreensivo.

Por ser baseado num manuscrito muito antigo, encontramos alguns conceitos atuais não existentes naquela época, digamos que aquele povo ainda não tinha conhecimento de que sabemos hoje. acredito que houve alterações, ainda que mínimas no manuscrito ao longo do milenio, Mas Crichton como sempre tinha um talento nato na escrita faz desa obra uma narrativa ímpar.

Então, nessa missão de ir ao rei dos Bulgarios, Fadlan se encontra em meio aos Nordicos e fica impossibilitado de concluir a mesma, desse modo, permanece com aquele povo por dias na tentativa de sequer sair vivo, quer seja pela forma como as pessoas se tratavam, não tendo as mínimas condições higiênicas e muito menos sanitárias. Sabe o que é ignorar um simples banho ? pois é! Além disso, aquele povo tinha suas próprias crenças e não toleravam qualquer outra, por esse motivo Fadlan se omitia de realizar seus rituais ali, na tentativa de sobreviver... Se você ficou curioso(a), te recomendo: LEIA O LIVRO! Você vai adorar!

0 comentários:

Postar um comentário