sábado, 10 de setembro de 2016

[Coleção Negra] As Pérolas Peregrinas

As Pérolas Peregrinas - Manuel de Lope


Sinopse


Duas pérolas valiosíssimas circulam pelo submundo de Madri. Em seu encalço, advogados, milionários e bandidos, todos cobiçando o tesouro. Para obtê-lo, não hesitam em mentir, fraudar, ameaçar e até mesmo matar a sangue frio. Preso a esse turbilhão, o advogado Alfredo Kauffman envolve-se, sem saber, em uma perigosa trama internacional que põe em risco sua vida e a sua carreira. Um grande thrriller de um dos melhores e mais populares autores espanhóis da atualidade.

Minha Opinião


Em As Pérolas Peregrinas, Manuel de Lope escreveu uma excelente história Noir. Com vários elementos peculiares em sua narrativa (sem comentar seus personagens). Com a trama centrada em Kauffman, o advogado, descobriremos o quanto o ser humano pode ser ambicioso e quão longe pode ir um homem em busca de sua ambição.

Tudo gira em torno do colar, valiosíssimo, único no mundo. Contudo, nessa joia faltam duas pérolas (as duas caveiras da capa do livro). E é por causa dessas pérolas que boa parte da trama acontece. Kauffman se vê no meio de uma disputa que, se ele fosse um mínimo prudente, não é de sua conta.

Mas o advogado, movido pelos instintos mais comuns aos homens, se meteu de cabeça na trama. Em meio a muito dinheiro, muita cobiça e luxúria, Kauffman se torna a peça chave para a solução do quebra-cabeça, ou melhor, para o preenchimento das pérolas faltantes no colar.

Há vários personagens, mas um deles merece destaque: Aquino Tuán, o servo fiel de um dos mais perigosos inimigos de Kauffman, Fernando Garras.

"Além disso, seu patrão tinha um patrão maior que também tinha inimigos. Aquino tivera que abrir a cabeça de outro poderoso inimigo do patrão. Em sua aldeia, Aquino Tuán pertencia à casta dos guerreiros, embora na Espanha estivesse no serviço doméstico para juntar pesetas em pastas e trocá-las por dólares", página 96.
Durante o decorrer da trama, temos muitos conflitos. Mas os que quero destacar são os conflitos do próprio Kauffman consigo mesmo. Acredito que esse seja o ponto forte do livro. Acima de toda a trama policial, das pérolas peregrinas e seu misterioso destino, Kauffman é um ótimo personagem. Vamos acompanhando seus combates, seus medos, suas dúvidas e suas culpas, somos guiados em uma série de pensamentos peculiares acerca dos fatos.

Kauffman é o que se deve prestar muita atenção, pois ele merece haha.

 Sobre a Edição


Com páginas amarelas, "orelhas" e imagens no início de cada capítulo, Pérolas Peregrinas  é mais um título da Coleção Negra (para saber os outros títulos dessa mesma coleção, litados aqui no blog, clique aqui), sendo mais específico, é mais um título da Coleção Negra - Noir Europeu.

Eu gostei da capa, da ilustração, mas não achei nada de extraordinário, pelo contrário, achei bem comum.

Eu particularmente gosto da diagramação do texto nessa Coleção, mesmo sendo bem simples. Acho que a leitura flui bem, para mim, desse jeito.

Lembro que comprei esse livro na "feira do livro" aqui na minha cidade (deve ter sido ano passado, provavelmente). Paguei 10 reais nele, tava meio surradinho até, mas "Novo". Valeu muito a pena, adorei conhecer Kauffman e a escrita do Manuel.

Curiosidade


Vencedor, em 1998, do Prêmio Primavera (prêmio concedido na Espanha a escritores "latinos", desde 1997), concorrendo com o argentino Jorge Victoriano Alonso, autor de Vientos de Noviembre Para El Amor. Pérolas Peregrinas é um excelente livro, tanto para quem quer conhecer um pouco dos costumes espanhóis tanto para quem gosta de bons protagonistas, que não se limitam ao superficial.



Boa leitura a todos!!!
\o/

0 comentários:

Postar um comentário