domingo, 20 de dezembro de 2015

O Velho e o Mar

O Velho e o Mar - Ernest Hemingway



Sinopse


Depois de anos na profissão, havia 84 dias que o velho pescador Santiago não apanhava um único peixe. Por isso já diziam se tratar de um salão, ou seja, um azarento da pior espécie. Mas ele possui coragem, acredita em si mesmo, e parte sozinho para alto-mar, munido da certeza de que, desta vez, será bem-sucedido no seu trabalho.

Esta é a história de um homem que convive com a solidão, com seus sonhos e pensamentos, sua luta pela sobrevivência e a inabalável confiança na vida. Com um enredo tenso que prende o leitor na ponta da linha, Hemingway escreveu uma das mais belas obras da literatura contemporânea.

Uma história dotada de profunda mensagem de fé no homem e em sua capacidade de superar as limitações a que a vida o submete.

Minha Opinião


Lançado em 1952, O Velho e o Mar conta a história de Santiago e sua busca pelo "peixe de sua vida". Hemingway criou uma história relativamente curta, sem muitas "firulas", direta ao ponto, mas sem deixar de descrever e trabalhar o essencial.

Com apenas dois personagens principais, Santiago e seu Peixe, temos uma boa história, que te "prende" até o fim, mesmo sendo curta. Na luta entre O Velho [Pescador] e o Vigoroso [Peixe] conhecemos um pouco sobre a história do Velho, seus medos, virtudes, amizades e sonhos. Achei incrível como com apenas dois personagens centrais Hemingway criou uma história com tanto significado, tão densa em si mesma...

Santiago, pescador experiente que é, respeita o mar, a natureza. Ao longo da história essa ideia é reforçada cada vez mais, tanto pela sua [de Santiago] relação amigo/rival com o Peixe quanto pela seus temores acerca do que virá a (ou poderá vir a... sem spoilers  rsrsrs) acontecer. E é nessa relação de respeito entre homem e natureza que se pode concluir uma das possíveis mensagens do livro (lembrando que cada interpretação da história é, e deve ser!, puramente pessoal...). Não é uma luta entre homem e natureza, entre predador e caça. É uma luta entre dois seres vivos, sem intenções maldosas ou egoístas.

"'O sol matinal tem feito doer os meus olhos durante toda a minha vida', pensou ele. 'Mas ainda estão muito bons. À tardinha posso olhar de frente para o sol sem sentir muita dor. É à tarde que o sol fica mais intenso. Mas de manhã é mais doloroso'", posição 395.

E é nessa "guerra de forças" que vislumbramos a beleza do livro. Com boas descrições sobre embarcações e termos náuticos, com um texto "enxuto", direto ao ponto, sem muitos rodeios, Hemingway te prende numa bela história, carregada de significados (desde educação ambiental até uma certa filosofia existencialista).

É um livro bem curto, rápido de ser lido (sua linguagem é de fácil entendimento), mas que vale a pena ser relido, debatido, ou que você no mínimo reflita sobre a obre, e suas mensagens...

Não vou comentar muito sobre o final, visto que é um livro curto e seu final é de extrema importância para uma boa reflexão sobre a obra. Li as últimas páginas com o coração na mão, vendo Santiago travar uma batalha sobre-humana contra forças além de sua determinação, ou sua força de vontade.  Você torcê para que no fim tudo dê certo, todos terminem felizes e tudo o mais... Mas vem Hemingway com esse final que te deixe muito (mas muito mesmo) reflexivo sobre nossas metas, sobre quanto de nós mesmos devemos dedicar em nossas buscar por objetivos e sobre quão dura a vida pode ser.

Sobre a Edição


Esse é meu primeiro ebook comentado no blog. Por isso achei diferente falar sobre a edição. Mas vamos lá...

Com tradução de Fernando de Castro Ferro, o ebook possui um bom índice e algumas ilustrações (que provavelmente estão na edição impressa...), incluindo a capa que, para mim, é a melhor das lançadas aqui no Brasil.

Eu li ele pelo serviço Kindle Unlimited, que é basicamente, um serviço (pago mensalmente, com valor fixo) de locação de ebooks.

Bem formatado e sem erros, O Velho e o Mar é a nossa [ótima] dica de leitura, e uma prova de que os clássicos também podem ser atuais...


Boa Leitura
\o/

0 comentários:

Postar um comentário