domingo, 7 de junho de 2015

A Metamorfose

A Metamorfose - Franz Kafka


Sinopse


A metamorfose é a mais célebre novela de Frans Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. Sem a menor cerimônia, o texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante - o famoso Gregor Samsa - transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana - tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.

Resenha


Nessa novela temos a história de Gregor Samsa (e sua família: Pai, Mãe e Irmã) que, logo na primeira página, descobrirmos ter-se metamorfoseado em um inseto monstruoso.

"Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso." , página 7.
Gregor era um caixeiro-viajante, provedor principal de sua família, desde quando seu a empresa de seu pai faliu. Era um rapaz normal, sem extravagâncias ou vícios, que se dedicava ao máximo à sua família. Planejava mandar sua irmã (que era uma excelente violinista, ao seus olhos...) para um colégio de alta qualidade.

Pois bem, acompanhamos a metamorfose de Gregor na perspectiva dele. Em outras palavras, tudo que sabemos é informado por um narrador focado nele. Descobrindo aos poucos as consequências da metamorfose, vemos um Gregor em pleno conflito entre sua nova natureza animalesca e seus antigos costumes humanos. 

Além disso, vemos como a família (e o seu chefe, que, por incrível que pareça, vai pessoalmente visitá-lo para averiguar o que aconteceu com seu funcionário) reage a sua metamorfose. Imagine você acordar e perceber que seu irmão se metamorfoseou em um inseto monstruoso? Difícil prever qual seria a melhor reação, ou a mais racional possível, né?

"Antes, quando as portas estavam fechadas, todos queriam entrar para vê-lo, agora que ele havia aberto uma e as outras evidentemente tinham sido abertas durante o dia, ninguém mais vinha e as chaves estavam na fechadura também do lado de fora", página 35.
Ou seja, vendo o filho nesse estado, seus pais resolveram trancá-lo no quarto até que resolvessem aceitá-lo como ele estava. Mas não é tão simples. A relação dos pais de Gregor com ele não é nada fácil, a única pessoa que parece aceitá-lo agora é sua irmã, Grete.  É ela quem vai levar comida (a "nova" comida preferida de Gregor) e arrumar/limpar rapidamente o quarto/prisão do irmão.

Vendo que Gregor não tinha quaisquer perspectiva de melhora, a família se vê forçada a se unir, cada um conseguindo um emprego, para seu próprio sustento. Daí em diante a relação deles com Gregor se torna a mais estranha possível, resultando nos eventos finais narrados no livro (sem spoilers né? rsrsrrs).

É interessante notar como a relação entre os membros da família com Gregor metamorfoseado muda no decorrer do livro. Além disso, a relação de Gregor consigo e com os outros também vale a pena ser destacada. A narrativa de Kafka é (no melhor sentido da expressão) difícil de engolir. A forma como a família resolve lidar com o problema é estranhamente impessoal. Em alguns trechos tive vontade de ir lá e falar para eles tentarem entender o problema da outra forma e fazer algo.

Gregor muda completamente a sua forma, mas sua consciência é totalmente preservada, mesmo que ele não consiga articular palavra nenhuma com o passar do tempo. Qualquer movimentação dele necessitava de grandes gastos energéticos. Então você assisti um Gregor incapaz de fazer qualquer coisa importante, mesmo que ele não ache isso muito importante (seus devaneios não focam necessariamente nas consequências mais perigosas de seu atual estado).

Já a Metamorfose, ou melhor, toda a história contada pode ser uma metáfora/alegoria para vários tipos de problemas, desde uma simples transformação fantástica de uma pessoa em um inseto, até a difícil e degastante relação de uma família com um membro que se torna incapacitado fisicamente de cuidar de sua vida sozinho (quer seja por um acidente ou por uma doença)... Enfim, a interpretação cabe ao leitor, o que é um enorme ponto positivo do livro.

Se você já leu, deixe ai nos comentários qual a sua interpretação ou o que achou do livro... 

;)


Sobre a Edição


Essa é uma edição da Companhia das Letras com tradução de Modesto Carone (que, conforme relatado no posfácio, traduziu diretamente do alemão para o português tentando ao máximo manter a forma de narrativa usada pelo Kafka).

É em tamanho um pouquinho menor do que o tamanho "padrão" (que é 16x23 cm), mas contém "orelhas" e páginas "amarelas". É impressa em papel Pólen Bold, as páginas são bem grossas.

É um livro pequeno e de fácil leitura (não se assuste por ser um livro do KAFKA, é um livro relativamente simples de ser lido), portanto indicamos a leitura...

Boa Leitura!!

0 comentários:

Postar um comentário