quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O Lado Bom da Vida

O Lado Bom da Vida - Matthew Quick


Sinópse


 Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um 'tempo separados'.

Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.

À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que 'é melhor ser gentil que ter razão' e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez.

Um livro comovente sobre um homem que acredita na felicidade, no amor e na esperança.

Resenha


Antes de ler "o lado bom da vida" ouvi e li muitas críticas a respeito desta obra, então decidi" tirar a prova". Fiz isso levando em consideração todos os pontos da leitura, desde o cenário até a narração e vou comentar um pouco sobre esses dois pontos.

1- O LOCAL é algo estranho para um homem que morava em sua casa de casado e agora está convivendo com os pais como na época de solteiro, tendo que ficar sob o cuidado de sua mãe e tendo que aturar a forma como os vizinhos olhavam para ele, sendo forte em meio a uma gama de pessoas que não o consideravam são e muito menos uma pessoa de confiança.

2-A NARRAÇÃO  é feita por alguém que sofre de problemas psiquiátricos. Ele conta as coisas da forma como ele acredita que elas são e isso talvez não faça muito sentido em alguns trechos, eu acredito que isso não é incapacidade do autor, mas uma forma de tornar a história mais interessante.

Então, "o Lado bom da vida" é um livro pequeno, com uma escrita bem clara e de fácil entendimento.

Pat tinha uma  vida normal e era apaixonado por sua esposa Nikki, mas algo lhe ocorreu e ele precisou de cuidados psiquiátricos por alguns anos e  ele não tem consciência de quanto tempo exatamente  passou sob cuidado médico, a unica coisa que ele sabe é que ele precisa ser um homem bom e gentil e acima de tudo "sarado" para voltar à sua vida de casado e isso é algo que ele busca sozinho e incessantemente.

A trama conta com personagens importantíssimos para a recuperação e superação de Pat, onde destacamos a mãe de pat, seu novo médico e sua vizinha Tiffany.

Alguns pontos  interessantes nessa história é que Pat mesmo sofrendo de uma doença que as vezes o deixa agressivo e perturbado, continua acreditando que as coisas darão certo e isso depende  dele exclusivamente; A família e amigos próximos de Pat sofrem por tudo que aconteceu e tentam poupa-lo de outros sofrimentos maiores, mas ele não consegue compreender isso.

 A obra tem um enredo que levam o leitor a repensar sobre alguns conceitos sobre casamento, fidelidade e no peso que estas duas palavras tem sobre a sanidade mental de um indivíduo.

Este livro não entra para minha lista de favoritos por uma serie de fatores,mas isso não o torna menos importante, afinal existem pessoas que o adoraram.

Para quem apenas assistiu ao filme, digo que mesmo o livro não estando entre meus queridinhos,ele consegue ser bem mais completo do que o filme, o que já é de se esperar, além do que o filme foge do livro em alguns pontos.

0 comentários:

Postar um comentário