sábado, 27 de dezembro de 2014

O Natal de Poirot

O Natal de Poirot - Agatha Christie





Sinopse

Véspera de Natal. A reunião da família Lee é arruinada pelo barulho ensurdecedor de móveis sendo destroçados, seguido de um grito agudo e sofrido. No andar de cima, o tirânico Simeon Lee está morto, numa poça de sangue, com a garganta degolada. Mas quando Hercule Poirot, que está no vilarejo para passar o Natal com um amigo, se oferece para ajudar, depara-se com uma atmosfera não de luto, mas de suspeitas mútuas. Parece que todos tinham suas próprias razões para detestar o velho…

Resenha


O natal de Poirot é uma das tramas mais surpreendente da rainha do crime, é uma leitura simples e clara, mas com uma enorme capacidade de cativar o leitor para dentro da história contada.

Agatha pretende com este livro não deixar dúvidas do que ocorreu às vésperas do natal na mansão dos Lee.

O velho Simon Lee pretende reunir toda a família para passar o famoso natal inglês.

De casa cheia o velho que não tinha apenas boas intenções resolve fazer uma reunião com seus filhos e noras, sua única neta recém-chegada e um visitante vindo da África do Sul o que resultou em discórdia tanto por envolver questões relacionadas a dinheiro quanto pelo fato do velho jogar indiretas e insultos aos filhos que por sua vez eram de personalidades totalmente diferentes.

Um pouco depois do jantar a casa ganha um clima de tensão e pavor mediante a um barulho ensurdecedor de móveis sendo quebrado no quarto do patriarca, seguido de um grito horripilante como sendo de uma alma indo direto ao inferno.

Todos sobem as escadas desesperados e são obrigados a arrombar a porta do quarto que estava trancada por dentro, ao fazerem isso todos se deparam com um cenário assustador em que jaz o velho Lee com o pescoço cortado em meio a uma poça absurdamente grande de sangue e a para a surpresa dos presentes arma nenhuma é encontrada.

A partir de então o leitor se ver cada vê mais preso à leitura sendo induzido pela Agatha a desconfiar de todos os personagens e hora ou outra se pensa até que já se chegou ao criminoso, mas é estimulado a mudar de ideia ao longo da trama quer seja por conta da descoberta de um possível furto de diamantes brutos ou por declarações conseguidas por Poirot através de alguns membros da família ou empregados.

Poirot?  Sim (o cara do título... rsrs), ele estava na cidade e por incrível consciência acompanhava o superintendente e o coronel da policia em um caso, chegando à mansão minutos depois de encontrarem o corpo e devido sua fama de “um dos melhores investigadores do mundo” é contratado para investigar o caso.

A história prossegue cada vez mais curiosa e interessante. Adianto que será uma aventura muito boa.
Nesta obra o leitor descobre que tão bom quanto descobrir quem matou o velho Lee é saber o porquê o fez. Mas nada se compara a juntar todos os pontos que são lançados no decorrer da leitura e monta-los como se monta um quebra-cabeça e é exatamente isso que Hercule Poirot faz.

0 comentários:

Postar um comentário